terça-feira, setembro 3

Aperto

Falar  com uma amiga ao final do dia que nos diz que sentiu a nossa falta. E que tem saudades. E que fazemos falta. E ouvir a amiga a chorar do outro lado. Ouvir isto dá um aperto no coração. E quando nos perguntam quem era e tento dizer mas a garganta cala-se e só sei chorar. Ai, ai.... É um aperto!

6 comentários:

São Rosas disse...

Mais que natural, Gotinha.
Nem deves só chorar. Gritar umas asneiras num sítio ermo (conheço um gajo que faz isso na rotunda à saída da empresa) dá um alívio que nem imaginas. Experimenta e depois diz-me. Mas tem que ser com asneiras mesmo, nada de "chiça", "gaita", "bolas",...

Gotinha disse...

"Caramba" e "apre" também não deve resultar.....
;-)

sofia disse...

No words, my dear friend.
Love you

São Rosas disse...

Mesmo "porra", não aconselho.

Menina Olga disse...

só este tipo de leitura já alivia, quanto mais a cena do grito do impropério. Se quiseres companhia sabes onde estou.

São Rosas disse...

Impropério?! É tudo bem propério! Impropério é o que fazem com os professores!