sábado, fevereiro 5

Que Parva que eu Sou - Hino de uma Geração



Sou da geração sem remuneração
e não me incomoda esta condição.
Que parva que eu sou!
Porque isto está mal e vai continuar,
já é uma sorte eu poder estagiar.
Que parva que eu sou!
E fico a pensar,
que mundo tão parvo
onde para ser escravo é preciso estudar.

Sou da geração ‘casinha dos pais’,
se já tenho tudo, pra quê querer mais?
Que parva que eu sou
Filhos, marido, estou sempre a adiar
e ainda me falta o carro pagar
Que parva que eu sou!
E fico a pensar,
que mundo tão parvo
onde para ser escravo é preciso estudar.

Sou da geração ‘vou queixar-me pra quê?’
Há alguém bem pior do que eu na TV.
Que parva que eu sou!
Sou da geração ‘eu já não posso mais!’
que esta situação dura há tempo demais
E parva não sou!
E fico a pensar,
que mundo tão parvo
onde para ser escravo é preciso estudar.



"Os Deolinda vão disponibilizar na próxima semana o tema inédito "Parva que sou", porque ficaram surpreendidos com o sucesso que a canção teve na estreia ao vivo, quando foi tocada em Janeiro nos coliseus do Porto e de Lisboa."
cm

5 comentários:

Blackbit disse...

Bravo Deolinda, não teria dito melhor!

Anónimo disse...

... já alguém corrigiu a letra algures, não é "filhos, maridos, estou sempre a adiar",
é filhos, marido - estou sempre a adiar" (o estou começa pegadinho ao marido e por isso engana).
A geração pode ser muitas coisas, mas ainda não é poligâmica, q eu saiba. =) =) =)

carol disse...

De facto, não gosto!

O AMIGO DE SEMPRE disse...

OLHEM LÁ, EM 1978 TAMBEM NAO HAVIA EMPREGOS,COMPUTADORES OU TELEMOVEIS, GOSTAVA DE SABER DE QUE SE QUEIXAM AFINAL ESTES DORINDA SE HOJE TEM A MAIS OS TELEMOVEIS E OS COMPUTADORES. BOA NOITE E BEM HAJAM

O AMIGO DE SEMPRE,AGORA ACAMADO disse...

DANTES ERA ASSIM,EM 76(E ISTO É PARA OS DIOLINDA TOMAREM NOTA E ATÉ ESCREVEREM UMA CANÇÃO): IA EU AO TALHO E LEVAVA NUM PORTA-MOEDAS UMA NOTA DE VINTE ESCUDOS,NUMA TARDE DE SÁBADO,NORMALMENTE CHEIRAVA A LIXIVIA,PEDIA AO TALHANTE MEIO QUILO DE BIFE. DAVA O DINHEIRO AO TALHANTE E RECEBIA O TROCO. DEPOIS IA PELA RUA DE VOLTA A CASA E VIA OS CARTAZES NAS PAREDES. HOJE JÁ NÃO FAZES ISTO,MINHA CARA DIOLINDA, VAIS DE CARRO AOS HIPERS MAS NÃO VAIS LONGE COM 10 CENTIMOS NO TEU PORTAMOEDAS, LAI, LAAI, LAAAI, LAI, NEM PARA A SARDINHA, NEM PARA A SARDINHA... LAI LAI