quinta-feira, outubro 7

Fotografias Jamé!!

Ontem foi a reunião de encarregados de educação da sala do meu filho.
A primeira notícia foi a proibição no Agrupamento da ida do fotógrafo às escolas para realização das tradicionais fotografias. Todos nós temos as nossas fotografias nos bancos de escola, invariavelmente com o mapa de Portugal de fundo e sentadinhos numa carteira com um sorriso desdentado ou até a fotografia de grupo com todos os colegas e respectiva professora. Como é bom recordar...
Todos os encarregados de educação presentes na reunião ficaram perplexos pela novidade. A circular enviada pela Escola-Sede dava como argumentos a perturbação do funcionamento das aulas e a recusa à entrada de alguém na Escola com fins comerciais.
Estou perplexa e triste. Quero que o meu filho possa recordar a sua sala de aula. Quero que o meu filho possa recordar os colegas de turma. Quero que possa recordar a sua professora. Quero que o meu filho possa recordar o seu sorriso desdentado.
Os argumentos apresentados não me parecem ter fundamento suficiente para impedir a ida do fotógrafo à escola: se por um lado, entendo a perturbação, não a vejo como mais perturbadora do que as obras realizadas na escola, no início de Setembro, e que impediram a abertura em boas condições do ano lectivo; por outro lado, a questão comercial colocada nestes termos poderá inviabilizar a realização de uma feira do livro na escola (como aconteceu o ano lectivo anterior e com muito sucesso!!) ou até impedir a realização de uma visita de estudo. Na feira do livro há uma transacção comercial, correcto?! E na visita de estudo, não se paga um autocarro e não se pagam as entradas nos destinos seleccionados?! Mais uma vez, o dito comércio.
Poderão dizer-me que há Encarregados de Educação que podem não querer. É claro que há. E por isso, a escola contactava-os previamente no sentido de obter a autorização ou não na realização das fotografias. Eram mesmo sondados no sentido de permitir o seu educando a realizar a fotografia de grupo. Podiam e podem recusar. São livres de o fazer. E eu quero ser livre de poder escolher que o meu filho faça a fotografia. Nem que seja só ele e a professora. Caramba.
Pretendo contactar a Associação de Pais e mostrar o meu desagrado. Quero que eles transmitam o meu desagrado na expectativa de os fazer mudar de opinião. Estou com vontade e ânimo de avançar, caso as tentativas iniciais saiam goradas, com um abaixo-assinado (vontade expressa por todos os Encarregados de Educação presentes na reunião!) e quem sabe até contactar os órgãos de comunicação social.

E por aí há mais ideias?
O que fariam vocês?
O que me sugerem??

14 comentários:

São Rosas disse...

1, 2, 3, experiência...

Sofia disse...

A sério?
Muda-o para o nosso Agrupamento:)^)))))

maria disse...

O problema são as crianças que querem ser fotografadas mas não podem porque os pais não podem pagar.

PatyeMelguinhas disse...

Essa nunca tinha ouvido, no agrupamento dos melguinhas veio ontem o papel para dar-mos autorização para tirarem fotos e na escola onde trabalho vem no proximo mês
Acho que deviam mostrar o vosso desagrado sim e irem falar directamente com a Direcção do Agrupamento

Gotinha disse...

mARIA,
Mas estás a falar com conhecimento de causa? Achas que é esse o argumento que move e despoleta toda esta situação?!

maria disse...

Falo com conhecimento de causa.

jardinsdeLaura disse...

Gotinha,
Tens toda a razão! E sabes que mais?! Se nada resultar "armas-te" de máquina fotográfica apareces na escola durante um dos intervalos, tentas convencer a professora a reunir a classe e tiras tu a fotografia! Para grandes males remédios caseiros! Boa sorte!;)

RetalhosNaVidaDeUmProf disse...

Se alguns dos pais não podem pagar, então não comprem as fotos.

Na escola dos meus filhos, quem não quer que os seus filhos sejam fotografados declara-o expressamente.
E o fotógrafo tira sempre imensas fotografias. Mas eu só compro as que me interessam!

Como última solução, se todos os pais da turma do teu filho querem fotos, peguem nas vossas máquinas e tirem vocês próprios. E a professora também.

Se por causa de alguns não poderem privarmos todos os outros dessa recordação tão saborosa das nossas infâncias parece-me ser uma decisão muito grave da Direcção da escola do teu filho. E também tão perigosa como estúpida.
Amanhã irão proibir o quê? Que por exemplo não podem usar relógio? Que não podem comer bife do lombo? Ou que os ténis têm que ser todos da loja dos chineses?

Gotinha disse...

Maria,
ISSO NÃO É PROBLEMA.
Eu tinha 8 anos e queria umas sapatilhas Le Coq Sportif e como não havia dinheiro fomos à Feira e a minha mãe coprou-me umas sapatilhas castanhas feias e pesadas. Não traumatizei. Sabia que não havia dinheiro. Tive pena mas.. paciência!!

Gotinha disse...

Jardins de Laura,
Essa foi uma opção veiculada na reunião. Mas não teria a mesma qualidade de um fotógrafo profissional e para tal também teríamos que ter autorização do Director do Agrupamento.
Mas tudo está em aberto.

Gotinha disse...

RetalhosNaVidaDeUmProf,
Claro!
Na escola do meu filho, e tal como disse no post, acontece a devida autorização e só compra quem quer e o que quer.
Essa última solução só tem o problema da falat de qualidade que um profissional possui. E que todos desejamos e pretendemos.
Qualquer dia passam todos a usar uniforma porque ninguém deve ficar traumatizado porque o menino A usa umas calças da Levis e outra usa umas Pesadas....

Paula disse...

Me desculpem ser contra a corrente. Mas até compreeendo as da escola que todos aproveitamos no natal. Mas, aconteceu-me uma educadora refugiada no papelinho assinado autorizando fotos, e que fez uma unica visita de "estudo" durante 1 ano lectivo (miúdos de pré escolar)e foi precisamente a um local que pagamos um balurdio pela entrada, onde fizeram um pão (que atirado à cabeça de alguém, seria assumido como arma letal) e depois ainda nos apresenta algumas 10 fotos de cada criança a 1,5 € cada foto. Não acham um abuso ?! Acho indecente. Concordo com as ditas do natal, mas abusos é que não!

Gotinha disse...

Paula,
Essa do pão.. eh eh acho que o meu filho também já foi a esse sítio e também trouxe um tijolo.
Quanto aos abusos.... realmente foi um abuso.
Mas nesta situação sabemos a quantidade de fotos (um pack bem simpático a um preço razoável!) e só compra quem quer. A autorização não obriga à compra.

Ti Coelha disse...

Por amor de Deus... isto já não é como no nosso tempo, em que tinha que lá ir um fotógrafo profissional, tirar a foto de turma e depois tínhamos que pagar um balúrdio. Também já não é tempo em que a revelação de uma fotografia é outra "astronomia". Muita gente tem hoje em dia máquinas fotográficas digitais. Basta combinarem, alguém leva uma máquina, tiram a fotografia e depois enviam por mail a quem tiver e quem não tiver, combina-se para imprimir e pronto. Hoje é tão mais fácil ter-se recordações da escola graças às máquinas digitais e telemóveis com máquina fotográfica... no meu tempo é que era uma gaita! Só podia levar a máquina em dia de excursões.
A razão apresentada pelo agrupamento é um bocado parva. Da maneira como as coisas andam, ainda pensei que estivesse relacionada com pedofilia ou coisa do género, mas "fins comerciais??"
Eh.