domingo, fevereiro 28

Calças-Pénis

Olha o mê Goto a entrar no escritório com esta fatiota... eh eh...




Isabel Mastache, estilista espanhola, causou sensação com estas calças-pénis, na 51ª Semana da Moda de Cibeles em Madrid.

via O Amor é um Lugar estranho

É a Terra a lembrar-nos que está Viva


Tremor de terra -
"Não há uma única rua sem escombros em Concepción" "Parece o fim do mundo", dizem os primeiros chilenos, incrédulos, perante o sismo que agitou o país durante esta madrugada. Pelo menos 214 pessoas morreram, segundo o governo chileno, no sismo de intensidade 8.8 na escala de Richter, esta madrugada, na costa do Chile.

Tsunami -
Alerta de tsunami continua apenas no Japão e na Rússia

Icebergue do tamanho do Luxemburgo desprende-se. Esta ocorrência poderá causar grandes alterações climáticas. Fenómenos desta ordem só ocorrem a cada 50 ou 100 anos e os cientistas crêem que, dada a força desta raridade, a circulação dos oceanos poderá ser afectada, produzindo alterações meteorológicas. O icebergue do tamanho do Luxemburgo mede 2500 quilómetros quadrados, pesa 860 mil milhões de toneladas e contém água suficiente para fornecer um terço da população mundial durante um ano. Neste momento, ambos encontram-se a flutuar a cerca de 150 km da Austrália.

quarta-feira, fevereiro 24

Contra a escola-armazém de Daniel Sampaio

Quando um aluno entra na escola às 8h e sai às 20h, tem pai/mãe em média 3h por dia. Que geração estamos a criar?

"Merece toda a atenção a proposta de escola a tempo inteiro (das 7h30 às 19h30?), formulada pela Confederação Nacional das Associações de Pais (Confap). Percebe-se o ponto de vista dos proponentes: como ambos os progenitores trabalham o dia inteiro, será melhor deixar as crianças na escola do que sozinhas em casa ou sem controlo na rua, porque a escola ainda é um território com relativa segurança. Compreende-se também a dificuldade de muitos pais em assegurarem um transporte dos filhos a horas convenientes, sobretudo nas zonas urbanas: com o trânsito caótico e o patrão a pressionar para que não saiam cedo, será melhor trabalhar um pouco mais e ir buscar os filhos mais tarde.
Ao contrário do que parecia em declarações minhas mal transcritas no PÚBLICO de 7 de Fevereiro, eu não creio à partida que será muito mau para os alunos ficar tanto tempo na escola. Quando citei o filme Paranoid Park, de Gus von Sant, pretendia apenas chamar a atenção para tantas crianças que, na escola e em casa, não conseguem consolidar laços afectivos profundos com adultos, por falta de disponibilidade destes. É que não consigo conceber um desenvolvimento da personalidade sem um conjunto de identificações com figuras de referência, nos diversos territórios onde os mais novos se movem.
O meu argumento é outro: não estaremos a remediar à pressa um mal-estar civilizacional, pedindo aos professores (mais uma vez...) que substituam a família? Se os pais têm maus horários, não deveriam reivindicar melhores condições de trabalho, que passassem, por exemplo, pelo encurtamento da hora do almoço, de modo a poderem chegar mais cedo, a tempo de estar com os filhos? Não deveria ser esse um projecto de luta das associações de pais?
Importa também reflectir sobre as funções da escola. Temos na cabeça um modelo escolar muito virado para a transmissão concreta de conhecimentos, mas a escola actual é uma segunda casa e os professores, na sua grande maioria, não fazem só a instrução dos alunos, são agentes decisivos para o seu bem-estar: perante a indisponibilidade de muitos pais e face a famílias sem coesão onde não é rara a doença mental, são os promotores (tantas vezes únicos!) das regras de relacionamento interpessoal e dos valores éticos fundamentais para a sobrevivência dos mais novos. Perante o caos ou o vazio de muitas casas, os docentes, tantas vezes sem condições e submersos pela burocracia ministerial, acabam por conseguir guiar os estudantes na compreensão do mundo. A escola já não é, portanto, apenas um local onde se dá instrução, é um território crucial para a socialização e educação (no sentido amplo) dos nossos jovens. Daqui decorre que, como já se pediu muito à escola e aos professores, não se pode pedir mais: é tempo de reflectirmos sobre o que de facto lá se passa, em vez de ampliarmos as funções dos estabelecimentos de ensino, numa direcção desconhecida. Por isso entendo que a proposta de alargar o tempo passado na escola não está no caminho certo, porque arriscamos transformá-la num armazém de crianças, com os pais a pensar cada vez mais na sua vida profissional.
A nível da família, constato muitas vezes uma diminuição do prazer dos adultos no convívio com as crianças: vejo pais exaustos, desejosos de que os filhos se deitem depressa, ou pelo menos com esperança de que as diversas amas electrónicas os mantenham em sossego durante muito tempo. Também aqui se impõe uma reflexão sobre o significado actual da vida em família: para mim, ensinado pela Psicologia e Psiquiatria de que é fundamental a vinculação de uma criança a um adulto seguro e disponível, não faz sentido aceitar que esse desígnio possa alguma vez ser bem substituído por uma instituição como a escola, por melhor que ela seja.
Gostaria, pois, que os pais se unissem para reivindicar mais tempo junto dos filhos depois do seu nascimento, que fizessem pressão nas autarquias para a organização de uma rede eficiente de transportes escolares, ou que sensibilizassem o mundo empresarial para horários com a necessária rentabilidade, mas mais compatíveis com a educação dos filhos e com a vida em família.
Aos professores, depois de um ano de grande desgaste emocional, conviria que não aceitassem mais esta "proletarização" do seu desempenho: é que passar filmes para os meninos depois de tantas aulas dadas - como foi sugerido pelos autores da proposta que agora comento - não parece muito gratificante e contribuirá, mais uma vez, para a sua sobrecarga e para a desresponsabilização dos pais."
PUBLICO.PT

(os destaques efectuados no texto são da minha autoria: merecem reflexão urgente!)

terça-feira, fevereiro 23

Voto Amigo





Um colega meu está a concorrer com três fotografias a um Concurso de Fotografia do Diário de Notícias. As regras do "jogo" passam pela publicidade que se faz ao concurso e pelo apelo ao voto na fotografia. Para chegar à final, o Francisco precisa dos vossos VOTOS!!
Se tiverem paciência para dar um empurrão nesse sentido, eu e especialmente o Francisco Mendes AGRADECE MUITOOOO! Aqui vai o link para votarem - se acharem bem! - após fazerem o login - que demora uns minutos só:
Rumo Certo

Ponte

Metade de Mim

domingo, fevereiro 21

Ai Ui Ai Ai

Na 6ª feira comecei no ginásio. Há 2 anos que não fazia nenhum tipo de exercício.

No sábado descobri músculos que não sabia ter.

Hoje os gemidos eram mais curtos.

Mas amanhã volto para a tortura.

HELP

sábado, fevereiro 20

Mau tempo na Madeira

25 mortos confirmados na Madeira!



Parece que não é tão estranho quando isto acontece noutras partes do mundo como o Bangladesh.
(imagem I online)

terça-feira, fevereiro 16

Sarcófago de Tutankhamon

No dia 16 de Fevereiro de 1923: descoberto o sarcófago de Tutankhamon

A equipa do arqueólogo Howard Carter encontrou a câmara funerária onde estavam os restos mumificados do faraó egípcio Tutankhamon. Foi o único, entre os de outros faraós, que escapou aos saques de ladrões na antiguidade.

Tutankhamon não foi um rei importante. Governou por curto espaço de tempo, de 1361 a 1352 a. C., e não realizou nenhum projeto extraordinário. No entanto, a descoberta do seu túmulo com 5 mil objectos intactos faz dele o faraó mais conhecido de todos os tempos.

O facto de a tumba de Tutankhamon permanecer intacta por 3 mil anos gerou várias lendas a respeito de uma maldição que seria lançada naqueles que invadissem a sala mortuária. Os túmulos dos nobres egípcios eram construídos bem no fundo das rochas para evitar pilhagens. Eram escavados labirintos para que os ladrões se perdessem e morressem de fome antes de encontrar a câmara funerária.

(Imagem: Máscara funerária de Tutankhamon, em ouro maciço -museu do Cairo, Egipto)

segunda-feira, fevereiro 15

Batatanas

- Mãe, "puqué" que os peixinhos não andam como nós?
- Porque não têm pés.
- Têm o quê?
- Barbatanas.
- Ahhhh... batatanas.

Conclusão Lapidar

Para os chineses, 2009 foi o ano do BOI e este ano é o do TIGRE.
Felizes são eles que, todos os anos, trocam de animal. Nós já estamos há 7 anos com o mesmo burro!!!!....

sexta-feira, fevereiro 12

Recessão - Depressão - Recuperação

"Recessão é quando o vizinho perde o seu emprego,

depressão quando perdes o teu,

e recuperação quando Sócrates perder o dele."

segunda-feira, fevereiro 8

Valentine's Day


Há por aí sugestões de prendas?!

Já comprei um cinto mas parece-me ser uma prenda tão pouco romântica... bem.. a não ser bondage... hummm... bem... e então as sugestões?!



sexta-feira, fevereiro 5

O Tempo Passa Depressa

Um grupo de amigos com 40 anos de idade discute e discute onde se devem se encontrar para um jantar. Finalmente concordam que se devem encontrar no restaurante da Estalagem do Leão, porque as criadas têm blusas decotadas e boa perna;

10 anos mais tarde, aos 50 anos, o grupo reúne-se outra vez e mais uma vez discute e discute onde se deve encontrar. Finalmente concordam que se devem encontrar no restaurante da Estalagem do Leão, porque a comida lá é muito boa e a selecção de vinhos igualmente;

10 anos mais tarde aos 60 anos, o grupo reúne-se outra vez e mais uma vez discute e discute onde se devem encontrar. Finalmente concordam que devem se encontrar no restaurante da Estalagem do Leão, porque podem comer lá em paz e sossego e o restaurante é para não fumadores;

10 anos mais tarde, aos 70 anos de idade, o grupo reúne-se outra vez e mais uma vez discute onde se devem encontrar. Finalmente concordam que se devem encontrar no restaurante da Estalagem do Leão, porque o restaurante é acessível a cadeiras de rodas e tem até um elevador;

10 anos mais tarde, aos 80 anos, o grupo reúne-se outra vez e mais uma vez discute e discute onde se devem encontrar. Finalmente concordam que devem se encontrar no restaurante da Estalagem do Leão, o que seria uma grande ideia porque nunca lá estiveram antes.



terça-feira, fevereiro 2

Adeus Rosa Lobato Faria

Rosa Lobato Faria morreu aos 77 anos

Apesar de ser escritora e compositora, para mim será sempre a senhora rica da telenovela "Vila Faia" e também a letrista do"Chamar a Música", interpretado por Sara Tavares.





Adeus, Rosa.

Time after Time

A Sofia anda a dar-me na cabeça para eu actualizar mais frequentemente o Blog. E que faço eu ao Farmville? E as couves? E quem apanha o leite das vacas?! A Sofia anda entusiasmada com os seus novos blogs e pode ser que agora eu ganhe um espírito mais activo. Vamos lá, Sofia!